Coaching, PNL e a Conselheira.

Tenho bastantes Clientes que se deparam frequentemente com dúvidas e incertezas, quer ao longo das suas vidas, e também ao longo dos processos de Coaching que desenvolvem comigo.

Na grande maioria das vezes essas situações de dúvida e incerteza relativas à tomada de uma decisão trazem consigo angústia e medo de tomar a decisão errada. Isto tudo é normal e transversal a todas nós. Cada uma terá a sua capacidade de gerir as situações da melhor forma, à sua maneira, e mediante o seu mapa mundo (conceito já explicado num outro artigo meu).

Nessas situações, peço-lhes geralmente para identificarem uma pessoa que admiram, não têm de a conhecer, e essa pessoa não tem de estar viva. Apenas peço para me dizerem o nome e para descreverem essa pessoa ao máximo pormenor: como é a sua personalidade? Que conquistas teve na sua vida? O que admira mais nessa pessoa? A descrição é feita, e essa pessoa identificada é automaticamente trazida para a Sessão de Coaching. Se essa pessoa não existir não faz mal, porque a Cliente pode criá-la e dar-lhe um nome.

Depois? Dado que a Cliente identifica credibilidade e autoridade nessa pessoa, e dado que a admira muito, devemos recorrer sempre aos seus sábios conselhos e à sua experiência nos casos de dúvida e incerteza. Perante essas situações, devemos colocar a nós próprias questões como: “Se a pessoa X (nome da pessoa que admiramos) estivesse aqui, o que é que ela fazia nesta situação? O que é que ela diria? Como resolvia este tema?”

Acredite, o recurso a este tipo de auxílio ajuda bastante quando temos de tomar decisões desafiantes. E quer saber a boa notícia? As respostas estão todas dentro de si!

Leave a comment