Alice e a escolha dos caminhos.

Estamos a iniciar o segundo trimestre deste ano, e eu pergunto: os seus objectivos mantêm-se? E a força para os atingir? Se sim, Parabéns pelo foco!

Ou será que já desistiu deles (e como consequência, desistiu mais uma vez de si)?

Quando de facto não sabemos bem o que queremos, torna-se muito mais difícil correr a trás. Andamos sem rumo, perdemos o brilho nos olhos. Perdemos o fogo. Isso já aconteceu consigo?

É de facto muito importante ter um rumo, um objectivo. Seja ele qual for.

Você costuma falar com o Universo, e costuma verbalizar o que quer para si? Se não, é uma pena, porque aposto que em vez de estar a criar o seu caminho rumo ao que quer, está a gastar as suas energias a alimentar o que não quer.

Há que fazer escolhas, e há que tomar decisões. Há que pedir o que é seu por direito. Há que ter foco, há que escolher o caminho. Se não correr bem, pelo menos tentou, e existe sempre uma outra opção, certo?

Não seja como a Alice no País das Maravilhas. Quando o gato lhe pergunta; “Então Alice que caminho escolhes?” e ela responde “Não sei!”. Então ele diz “Se não sabes, qualquer caminho serve”. Não faça isto consigo!

Tente traçar um plano de acção, tome decisões. Sei que custa. Sei-o porque a questão da tomada de decisão é um tema quase transversal a todas as minhas Clientes, muito devido ao medo das consequências.

Mas não faça isso, por favor. Tome decisões, assuma as suas escolhas. E não pare! Você merece mais. Crie o seu País das Maravilhas, mas não seja uma Alice.

Leave a comment